terça-feira, 4 de outubro de 2011

Quando não se tem o direito de viver.

A minha chegada só trouxe incertezas.
 Agora, minha partida é mais que certa. 
Sem conhecer essa estrada, pego-a, para fugir da minha vida, da minha dor. 
Isso que seus olhos veem, não é somente a morte,  é fuga, um refúgio para os braços do criador.
  De quem não teve o direito de viver!  
Djavan Lopes.

3 comentários:

  1. Djavan, seu poema retrata bem a situação da imagem: questionador sobre nosso direito à vida por parte da humanidade, pois nosso Pai Divino deu a todos o direito de viver, mas o homem nos tira.
    Diante de uma cena triste, um belo poema.

    Parabéns pela inspiração!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. katyarmsp@hotmail.com26 de outubro de 2011 08:03

    E ainda em gente que reclama da vida...

    ResponderExcluir
  3. E meu amigo DJAVAN. aqui na ilha vejo varias pessoas reclamarem da vida.

    vivem no lugar abençoado por Deus!
    esses tipos de gente tem que ver a realidade lá fora.

    Meu amigo Parabéns pelo poema !!!
    te admiro muito meu amigo.

    PARARBÉNS TUDO DE BOM PRA VC HJ E SEMPRE.

    ResponderExcluir